fbpx

Cláudia Santos luta por vaga no Mundial de Paracanoagem

Atleta do Pinheiros disputa a Copa Brasil neste fim de semana (6 a 8/7) na raia olímpica da USP em busca do índice para competir em Portugal

A paracanoísta Cláudia Santos já gravou seu nome na história do esporte após dez anos de conquistas nas provas de remo, representando o Esporte Clube Pinheiros e o Brasil. Há um ano e meio, porém, a atleta optou por novos desafios e trocou de embarcação, substituindo o remo single skiff pelo caiaque individual em fevereiro de 2017.

Neste final de semana, 6 a 8 de julho, Cláudia pode alcançar mais uma meta: obter índice para disputar seu primeiro Campeonato Mundial de Paracanoagem. A atleta do Pinheiros precisa correr a prova de K1 200m abaixo dos 57s para garantir vaga no Mundial de Montemor, na última semana de agosto em Portugal. “O ideal será atingir a casa dos 55s”, projeta Cláudia.

Apesar da vitoriosa experiência trazida do remo, a atleta considera que ainda está em período de adaptação na canoagem. “No remo havia um flutuador, o que impedia o barco de virar. No caiaque não existe esse equipamento, e como sou amputada, apanhei muito no começo”. O esforço de Cláudia tem sido intenso para superar as dificuldades, dedicando-se aos treinos na USP de segunda a sábado em até três períodos diários, ao lado do técnico Thiago Borges.

A remadora traz no currículo três participações em Jogos Paraolímpicos no remo skiff 1.000m: Pequim (2008), Londres (2012) e Rio de Janeiro (2016). Ficou em quarto lugar em Londres e em sexto nas outras duas edições. Conquistou três medalhas em campeonatos mundiais de para-remo, ou remo adaptado: ouro em 2007 na Alemanha, prata em 2010 na Nova Zelândia e bronze em 2013 na Coréia do Sul, além de duas pratas em etapas de Copas do Mundo.