fbpx

Pequenas notáveis do Esporte Clube Pinheiros

LIE 01

Mesmo ainda jovens, as pequenas pinheirenses conquistam seu espaço e dão exemplo da força feminina no esporte

Quem ainda não ouviu falar sobre os benefícios que o esporte oferece às crianças? Seja do ponto de vista da saúde, no desenvolvimento motor, ou na socialização, iniciar alguma prática na infância pode trazer benéficos e ajudar na formação de adultos melhores. O Pinheiros, que além do esporte, tem como ponto forte oferecer atividades que atendam a toda a família, tem as crianças como um público representativo.

Por acreditar no poder transformador do esporte no desenvolvimento dos pequenos, o Clube traz um cardápio variado de atividades. Um grande exemplo dessa preocupação com a iniciação esportiva é o CAD – Centro de Aprendizado Desportivo, com a missão de “transformar a atividade física em benefícios para a vida dos pequenos pinheirenses”. De forma lúdica, recreativa e respeitando as características de cada idade, o CAD contempla 12 modalidades, apresentando-as às crianças e identificando a aptidão de cada uma delas.

Não é só na iniciação que as crianças marcam presença, o Pinheiros também conta com os pequenos nas equipes competitivas em vários esportes. Em reverência ao Mês das Mulheres, vale ressaltar que boa parte dos atletas mirins que fazem o Clube se destacar, são representantes femininas. No atletismo, no handebol, na natação e em várias modalidades elas mostram que: esporte também é coisa de menina.

Em modalidades totalmente diferentes, uma explorando mais a capacidade física e outra, mais a mental, Luiza Amaral Pennewaert e Débora Ciocler Trahtenberg, são dois exemplos de “pequenas notáveis”. Uma no xadrez e outra nos saltos ornamentais, mesmo sendo de esportes distintos, elas têm muito em comum. Ambas iniciaram aos 7 anos e hoje, entre suas conquistas estão os títulos de vice-campeãs brasileiras, cada uma na sua respectiva modalidade.

Luiza Amaral Pennewaert

Associada do Pinheiros, Luiza, hoje aos 11 anos, admite que no começo não simpatizava tanto com o xadrez, uma das matérias oferecidas na escola que estuda. Chegou inclusive a trocar de aula e investir na robótica, mas acabou regressando novamente para atividade anterior e começou a tomar gosto quando os resultados começaram a aparecer.

“Voltei a praticar xadrez e comecei a vencer as partidas, o que me levou a disputar campeonatos. Adoro montar uma estratégia diferente em cada jogo, analisar o outro jogador”.

Em 2019, representando a sua escola, a pequena enxadrista participou do Campeonato Brasileiro de Xadrez Escolar, em Caxambu/MG, com a participação de 520 crianças e jovens, da pré-escola ao 3º ano do ensino médio. Luiza, na categoria 4º ano do ensino fundamental feminino, fez uma excelente competição vencendo 5 das 6 partidas que disputou e sagrou-se vice-campeã brasileira escolar.

Em 2020, a pinheirense conheceu outra forma de competir. Devido à pandemia, não foi possível disputar os tradicionais jogos, presencialmente Participou do Circuito Infantil Xeque&Mate 2020 Online, usando o “nickname”: @Lulipenn. Agora, em 2021 se prepara para mais uma etapa do Circuito, a etapa “Cavalo”, que também será online.

Débora Ciocler Trahtenberg

No caso de Débora, atualmente com 14 anos, a atleta faz parte da equipe competitiva de saltos ornamentais do Pinheiros. Chegou a praticar ginástica artística, mas foi na piscina que acabou se encontrando. Mesmo jovem, a saltadora já tem um currículo de respeito: vice-campeã brasileira, campeã do Torneio Nacional (2017), além de ter sido a 8º colocada no Campeonato Pan-americano Júnior (2017).

O ano de 2019 também foi produtivo para a jovem pinheirense. Após passar por uma seletiva no início da temporada, conquistou pela segunda vez a vaga na seleção brasileira, desta vez para representar o país no Sul-Americano Juvenil. A temporada de 2020 foi especial, apesar dos imprevistos com a pandemia. Em fevereiro, competiu em Orlando na Flórida (EUA) no tradicional YCF All Star Invitation, torneio destinado aos jovens talentos. Débora ficou com o 6º lugar na plataforma (283,65 pontos) e em 4º lugar na prova sincronizada de trampolim de 3 metros (176,79 pontos), em dupla com a norte-americana Antonina Harned.

Vale destacar que o esporte muitas vezes proporciona oportunidades paralelas. Débora aproveitou a ida a Orlando para um intercâmbio. Antecipou a viagem para janeiro a fim de estudar inglês e treinar saltos ornamentais, com o técnico da YCF Diving, Mark Ruiz.

No retorno ao Brasil ainda teve tempo de representar o Pinheiros, em março, ajudando o Clube a conquistar o título de campeão por equipes na 1ª etapa do Circuito Paulista, além de ter ficado com o 3º lugar individual no Grupo B (177,70 Pontos).


LIE 01