fbpx

Canoagem: esportiva ou recreativa, só vantagens

LIE 01

Canoagem uma atividade completa em ambiente agradável; conheça mais sobre o esporte que pode ser praticado de diversas formas e por qualquer pessoa

Quem já viajou a passeio e aproveitou para incluir na programação alguma atividade radical? Encarando uma trilha, um rapel, ou descendo uma corredeira na adrenalina do rafting, o que essas atividades têm em comum é justamente o contato com a natureza, além da experiência que pode liberar elevada dose de endorfina, devido à emoção extrema.

O ambiente aquático está cada vez mais associado ao lazer e momentos de descontração, mas por outro lado também nunca deixou de marcar presença em grandes competições esportivas com várias modalidades. Da natação à canoagem, a forma pela qual você vai se dedicar ao esporte, sempre vai depender do seu objetivo: competir, exercitar-se ou simplesmente se divertir.

Entre várias opções de atividades aquáticas, temos a canoagem, que para surpresa de muitos não se resume apenas a entrar na canoa e remar. Na verdade, possui diversas modalidades e formas de ser praticada. Rafting, surfski, stand up paddle, canoa havaiana, canoagem velocidade e slalom, sendo estas duas últimas, modalidades olímpicas.

Outra particularidade desse esporte é que, apesar de muitos pensarem que fisicamente se trabalha apenas os membros superiores, é bem completo em termos de movimentação e traz vários benefícios a saúde física e mental. “Em relação aos benefícios físicos, a canoagem tonifica a musculatura. No visual parece trabalhar mais a parte superior, tronco e braço, mas há também o gestual de pernas, o que a torna completa”, afirma o técnico pinheirense Vinícius Luz Sanches.

“Mentalmente também traz benefícios, pois estamos em um ambiente totalmente ao ar livre, em sintonia com a natureza. E além do cenário, às vezes você está estressado, vem dar uma remada e já começa a mudar o ânimo. Focado no esporte, na água, na natureza, o esportista fica mais equilibrado”, declara Sanches.
As embarcações utilizadas são diferentes, de acordo com cada modalidade. Em resumo, pode-se utilizar tanto o caiaque, quanto a canoa. As canoas podem ser abertas ou fechadas e os remos utilizados possuem apenas uma pá (remada unilateral), sendo que em competições é identificada pela letra “C” seguida pelo número de tripulantes (C1, C2). Nos caiaques, o remo tem duas pás (remada bilateral) e nas competições é identificada pela letra “K” e o número de tripulantes (K1, K2, etc).

Canoagem no Pinheiros

No Pinheiros a canoagem é uma das modalidades mais tradicionais, já que o Clube nasceu às margens do rio. Atualmente a seção conta com cerca de 25 praticantes nas categorias: Máster e Participativo (com foco nos associados). As atividades são realizadas na Raia da USP, onde o Clube mantém estrutura completa. As modalidades são: canoagem de velocidade e a oceânica, com adaptação do surfski, a remada no mar.

“A maioria das pessoas no Clube, adotam como prática esportiva. Elas vêm, fazem um treininho, dão uma remada e está tudo certo. A remada em si, mesmo em um treino de 4km ou 6km, é divertida, porém, diferente do rafting, que foca bem mais na diversão, por mais que seja esportiva e recreativa também. Quem já desceu uma corredeira, sabe queé algo muito divertido. O Pinheiros inclusive conta com uma atleta máster do surfski, que competiu no Mundial da França e ficou com o vice-campeonato”, enaltece Sanches.

O técnico destaca ainda, que qualquer pessoa pode praticar a canoagem, sendo que uma das poucas exigências é que saiba nadar. Outra orientação que os novos canoístas recebem, é trazer para os treinos uma troca de roupa, porque entre uma remada e outra, os respingos de água são inevitáveis. O Clube dispõe de instalações com vestiários, armários e chuveiros, para conforto dos pinheirenses que frequentam a Raia da USP.

“O barco para aprendizado é super estável. Passamos instruções fora da água, sobre a remada, normas de circulação na raia e em seguida já vamos para a água. A remada é um movimento de reflexo, apoia-se o remo na água e se faz o barco andar. Qualquer pessoa é capaz de fazer isso. Depois trabalhamos o gestual técnico, o que gera mais propulsão e velocidade ao barco”, relata Sanches.

E para quem ainda está em dúvida sobre a prática da canoagem no Pinheiros, o técnico traz um incentivo a mais: “Vivemos em uma selva de pedras, São Paulo. Frequentar uma raia olímpica de dois mil metros próximo de casa ou do trabalho, é um privilégio. Não tem preço”.

Confira mais informações sobre a modalidade: aqui

 


LIE 01