Atletas do Pinheiros buscam vaga para Tóquio no Mundial de LPO

LIE 01

Tricampeão dos Jogos Pan-Americanos, Fernando Reis, competirá na Tailândia ao lado de Rosane Santos e Marco Túlio a partir de 18 de setembro

Mais do que recordes e marcas pessoais, 734 atletas de 105 países competirão no Campeonato Mundial de LPO – Levantamento de Peso Olímpico – em busca da vaga antecipada para os Jogos Tóquio 2020. A competição irá de 18 a 27 de setembro em Pattaya, na Tailândia. O Esporte Clube Pinheiros terá três representantes: Fernando Reis (+109kg), Rosane Santos (55kg) e Marco Túlio Gregório (96kg).

Os competidores estão divididos em 395 homens e 339 mulheres, o que confirma o crescimento feminino na modalidade. Vinte categorias estarão em disputa, dez para cada sexo. Estão confirmados os halterofilistas eleitos como os melhores nos anos de 2017, Lídia Valentin, da Espanha, e de 2018, Lasha Talakhadze, da Geórgia. Os oito primeiros em cada categoria garantem a vaga olímpica.

A principal meta da IWF – International Weightlifting Federation – é resgatar a credibilidade do esporte após uma enxurrada de casos de doping que, nas últimas temporadas, culminaram com a suspensão de atletas russos, chineses, de vários países do leste europeu e da própria Tailândia, sede do Mundial. “Queremos garantir uma disputa justa e limpa. Esse é o nosso maior desafio”, declarou o romeno Tamas Ajan, de 80 anos, presidente da IWF.

O Mundial será a primeira competição de Fernandão após os Jogos Pan-Americanos de Lima, em julho no Peru, onde o pinheirense conquistou o tricampeonato. “A preparação está indo muito bem. Estou treinando forte, com a expectativa de melhorar minhas marcas do Pan e tentar ganhar uma medalha inédita”, avaliou o atleta que mora há dois anos em Miami (EUA), onde possui uma academia para treinos.

“O Mundial que antecede o ano olímpico costuma ter um nível muito forte. Os atletas vêm para garantir a vaga e esse também é o meu objetivo”, afirmou Fernandão, quarto colocado no Mundial do Turcomenistão, em 2018, melhor resultado do Brasil na história do campeonato. O pinheirense, de 150kg e 1m85, é também recordista de arranco das Américas com 201kg. Em Lima, chegou ao ouro com 190kg, mais 230kg no arremesso, totalizando 420kg na soma dos dois movimentos.

Estrutura multidisciplinar – Além do empenho nos treinos, Fernandão adquiriu as condições de superioridade no LPO nas Américas, a partir da estrutura oferecida pelo Pinheiros ao longo de sua carreira. Rosane, a Rose, quinta colocada nos Jogos Rio 2016, mesma classificação de Fernando, e Marco Túlio, representante do Brasil no Pan de Lima, seguem o rumo do tricampeão.

Ciente dos estágios de cada um dos três atletas, a coordenadora de LPO do Pinheiros, Claucys Sousa, destacou os benefícios do clube. “No LPO, pelo menos 80% do desempenho está na cabeça. Não adianta, por exemplo, ter um físico forte e uma cabeça fraca. É preciso acreditar que irá fazer. Em outros casos, a técnica é muito apurada, mas falta força. Por isso trabalhamos em sincronia com a nutrição, fisioterapia e psicologia. Os atletas necessitam de um apoio multidisciplinar para reforçar o trabalho de ginásio”, enfatiza Claucys, também atleta e treinadora.

A atleta olímpica, Rose Santos, sabe das dificuldades de enfrentar rivais de países tradicionais no LPO, mas sustenta o otimismo de quem quase chegou ao pódio nos Jogos Rio 2016. “Estamos na briga por uma vaga para Tóquio. Apesar de o campeonato reunir os melhores do mundo, sabemos que estamos bem preparados para enfrentá-los. China, Rússia e Cazaquistão estão sempre entre os favoritos”, considerou a pinheirense.

Marco Túlio, sexto colocado no Mundial de 2017 em Anaheim, na Califórnia, também está ciente do potencial que possui para competir na Tailândia. “Com os pesos que levanto atualmente, eu seria pelo menos bronze nos últimos campeonatos pan-americanos e sul-americanos. O Pan de Lima (sétimo lugar) serviu como aprendizado. No Mundial, farei o melhor resultado que eu puder”, assegurou o halterofilista.

Os atletas que não garantirem vaga para Tóquio em Pattaya, ainda terão outras seletivas para buscar a classificação olímpica no LPO: Pré-Olímpico das Américas na República Dominicana, Torneio Open na Itália e Copa Sul-Americana na Argentina. Nos Jogos de 2020, cada categoria terá um representante por país. Para ratificar a vaga olímpica, o atleta terá de apresentar assiduidade nas principais competições da IWF desde o início de 2018, quando os testes antidoping se tornaram mais frequentes e rigorosos.

Fotos: Divulgação / IWF (2) e Ricardo Bufolin / ECP (1,3,4)

 


LIE 01