Os que me conhecem, sabem que nasci, estudei e cresci aqui. Sempre fui esportista e com muito orgulho representei as cores pinheirenses, inclusive em competições internacionais de Esgrima, seja como atleta ou, posteriormente, como árbitro e dirigente. Enfim, antes de estar Presidente, sou pinheirense de alma e coração, como todos vocês.

Cheguei ao Conselho muito jovem, em 2002, com apenas 27 anos, e com toda essa experiência de atleta e engenheiro pude colaborar bastante com o Clube em três mandatos sucessivos de Conselheiro e, agora, fui lançado pelos meus pares para esse meu maior desafio, que é a Presidência do Clube, aos 40 anos de idade.

Essa caminhada não foi fácil, mas um árduo trabalho e sempre respeitando todas as correntes políticas do Clube. Esse é o intuito da Coligação Frente Ampla, defendido por mim há muito tempo, não de hoje, necessário para congregar todos os associados.

Pretendo convidar, independentemente de “filiação partidária”, pinheirenses que se proponham a trabalhar, com afinco, amor e dedicação, pelo Clube Pinheiros, não importando o matiz político, mas sim sua competência e comprometimento.

“Partidos políticos” herméticos, rígidos, revanchistas e sectários não contribuem em nada para o nosso Clube. O convívio saudável entre os conselheiros e associados é fundamental para o Pinheiros, independente da sua posição, de forma construtiva e não destrutiva. Chegou o momento de união e harmonia em nosso Clube para que se realize uma gestão plural, democrática e transparente, com único objetivo: o Esporte Clube Pinheiros.

O Pinheiros, maior clube poliesportivo da América Latina, tem essa grandiosidade, não tão somente pela imensa área encravada num dos bairros mais valorizados de São Paulo, não somente pelo seu extenso quadro de medalhas, mas principalmente pelas pessoas que dele fizeram e fazem parte, funcionários, atletas e associados, formando assim a grande família pinheirense. São as pessoas que constroem uma sociedade forte, virtuosa, atuante e próspera.

Para que essa estrutura permaneça perene dentro da sociedade, 1.500 funcionários trabalham, 38 mil associados frequentam e constroem laços de amizade aqui. Temos um orçamento aproximado de 200 milhões por ano e que deve ser criteriosamente executado e auditado com muita austeridade.

Não podemos mais tolerar o não cumprimento de nosso estatuto por interesses pessoais, o nosso estatuto é o guardião do Clube e devemos sempre cumpri-lo e respeitá-lo.

Com a relação à gestão, inúmeras mudanças serão necessárias. É necessária a elaboração de um Plano Diretor de Desenvolvimento efetivo que proporcione uma diretriz independente, dinâmica, com revisões permanentes, capaz de captar, analisar e implantar os reais anseios gerais do corpo associativo e que, acima de tudo, funcione como um instrumento exclusivamente voltado ao correto desenvolvimento e controle do Esporte Clube Pinheiros em todos os seus setores e não como ferramenta atrelada somente a um grupo político. Esse novo plano deverá ser validado por meio de audiências públicas com os Associados.

Pretendo fortalecer a liquidez financeira do Clube com a implementação das melhores práticas de governança corporativa. Implementaremos mecanismos de transparência efetiva na execução orçamentária e prestação de contas, pois acreditamos que são estas questões que garantem que uma instituição se perpetue e se fortaleça.

Adequaremos os investimentos e obras (novas e de manutenção) com a realidade financeira atual do Clube, implementando uma gestão de austeridade e tornando nosso clube ainda mais sólido e seguro, mantendo-o sempre na vanguarda.

Investiremos, também, em aperfeiçoamento e treinamento dos funcionários, um dos nossos maiores patrimônios, pessoas essas que sempre admirei e pelas quais tenho o maior respeito.

Implementaremos uma gestão cada vez mais profissional. Vamos cortar os privilégios de uma minoria, reafirmando que todos os associados são iguais. Revisaremos a estrutura de custos e de atendimento dos bares e restaurantes, visando eliminar os déficits crônicos desse segmento. Incentivaremos e apoiaremos a cultura e as artes em nosso Clube, para enriquecer ainda mais o nosso associado.

Priorizaremos sempre e sem distinção o Associado nas categorias de base, garantindo a formação e o aprendizado desportivo para os nossos jovens. Adequaremos o papel do Clube com relação ao esporte de alto rendimento com receitas provenientes de patrocínio e/ou incentivos governamentais.

Contudo, não podemos nos esquecer que o nosso clube é uma entidade privada, e sendo assim, apesar de não ter fins lucrativos, temos que entender que os donos, os verdadeiros mantenedores de toda esta estrutura, são os associados do Esporte Clube Pinheiros. É para eles que trabalharemos neste meu mandato.

Nossa estrutura tem que ser voltada para a família pinheirense, desenvolvendo o esporte para os associados em todas as modalidades disponíveis. Afinal, formamos e treinamos os principais atletas que representam o Brasil.

O Pinheiros tem a força de um País num contexto de medalhas pan-americanas e olímpicas. Este ano, teremos o Pan-Americano em Toronto e no ano que vem as tão sonhadas e desejadas Olimpíadas no Brasil. Estamos cientes da responsabilidade que é treinar esses atletas brasileiros e o quanto nosso desempenho enquanto Clube afeta o resultado competitivo no quadro mundial do Brasil. Iremos buscar melhores contrapartidas para desonerar o clube.

Peço paciência porque meu objetivo é o de que o Clube possa colher maiores e melhores frutos em muitos e muitos anos à frente, para nós e nossas crianças. O Pinheiros também tem que focar na vanguarda da arte da administração de grandes clubes e temos todas as condições para isto.

Neste início de mandato, medidas duras e impopulares serão necessárias, mas com certeza o benefício num futuro próximo será muito maior para todo o clube.

Enfim, ciente da confiança, da responsabilidade e da esperança depositadas na minha pessoa para conduzir o Esporte Clube Pinheiros nos próximos dois anos, agradeço a Deus por essa oportunidade, pela minha saúde e desde já solicito com toda minha fé, que Ele possa nos iluminar e nos guiar para desenvolver um trabalho sério, correto, justo e transparente.

E, dessa forma, para encerrar, eu convoco todos para olhar e administrar para frente, com competência e harmonia e vamos trabalhar, porque há muito que fazer.”

Trecho do discurso da posse

Junho 2015