Criado no fim dos anos 70 a partir do bloco carnavalesco Cacique de Ramos, no Rio de Janeiro, o grupo Fundo de Quintal tornou-se uma referência no estilo original do pagode. Após conhecer os componentes do Cacique de Ramos, Beth Carvalho convidou-os para atuarem como músicos em seu próximo disco no final de 1977/78, disco esse, que se chamaria Pé no Chão. O nome Fundo de Quintal foi dado por um amigo e antigo produtor musical chamado Valdomiro. Estava assim iniciada a carreira artística do Grupo Fundo de Quintal e após o sucesso do disco de Beth Carvalho, o Grupo Fundo de Quintal no ano de 1980 inicia sua carreira profissional.

Composto principalmente por sambistas da escola de samba Imperatriz Leopoldinense, o grupo teve Beth Carvalho como madrinha e se caracterizou por usar instrumentos até então pouco comuns em rodas de samba, como o banjo, o tam-tam e o repique de mão.

Com vários discos gravados e Discos de Ouro e Platina, já ganharam o prêmio Sharp de música nove vezes. Alguns de seus maiores sucessos são "E Eu Não Fui Convidado", "Boca sem Dente", "Parabéns pra Você", "Andei, Andei", "Do Fundo do Nosso Quintal", "Só pra Contrariar", "Miudinho", "Não Vai na Conversa Dela", "Sonhando Eu Sou Feliz", "Malandro Sou Eu", "Tô Que Tô".

Seus fundadores foram: Almir Guineto, Jorge Aragão, Neoci, Sereno, Sombrinha, Ubirajara (Bira Presidente), Ubirany. Arlindo Cruz e Valter Sete Cordas entraram mais tarde.

Recentemente Mário Sérgio, atual vocalista do grupo, faleceu aos 58 anos, vítima de um linfoma.

Atualmente o grupo é composto por: Ademir Batera, Cleber, Ronaldinho, Sereno, Bira Presidente e Ubirany.

Fonte: http://www.letras.com.br/biografia/fundo-de-quintal