No dia 9 de fevereiro é comemorado o Dia do Zelador e para homenagear todos os zeladores que atuam no Esporte Clube Pinheiros, conversamos com um dos responsáveis pela manutenção do Ginásio Poliesportivo, principal espaço para treinos e competições no Clube.

Reginaldo Martins dos Santos, ou simplesmente “Réjão”, tem 46 anos – 15 deles dedicados diariamente ao Esporte Clube Pinheiros. Orgulhoso, ele conta que chegou ao clube em julho de 1999, para trabalhar na zeladoria dos ginásios menores.

“Cheguei para trabalhar nos Ginásios Azul, do Handebol e também da Ginástica. Foi uma experiência importante, porque logo depois o seu Cícero (antigo zelador do Ginásio Poliesportivo) me chamou para ajudá-lo no Poli. Ele sabia que eu já tinha experiência antes do Pinheiros e confiava no meu trabalho”, conta Reginaldo, referindo-se aos cinco anos de trabalho no Esporte Clube Sírio, antes de chegar ao Pinheiros.

Presente no clube de segunda a sábado, Réjão é o responsável por preparar a quadra do ginásio para os treinos das equipes de basquete, vôlei e handebol tendo, na maioria das vezes, pouquíssimo tempo para transformar o cenário e garantir a realização do treino. “Geralmente tenho 15 a 20 minutos. Eu troco as faixas, a água, o isotônico, as toalhas, coletes e, dependendo do treino, preciso colocar as tabelas (basquete), a rede (vôlei) e as traves (handebol). Em dia de jogo também cuidamos do placar eletrônico e deixamos tudo pronto pelo menos uma hora antes. Temos que respeitar as normas das organizadoras da competição, para não trazer problema pro clube”, revela o cuidadoso zelador.

Nesse período, Reginaldo conta que viu “muita gente boa” pelas quadras do clube, lembrando-se com carinho do período em que começou a trabalhar nos jogos das equipes adultas de vôlei. “Nunca imaginei que um dia seria amigo do Giba, Gustavo, Rodrigão. Os caras eram da seleção brasileira e gostavam de chegar mais cedo aos treinos para bater papo e as vezes até me ajudavam a preparar a quadra pro treino. O Shammel (Basquete) me deu o telefone dele e disse que eu posso ligar quando quiser, pro que precisar. Esse meio do esporte é muito legal, você se torna membro da família e vibra muito com eles a cada vitória”, revela.

Pai de três filhos, Reginaldo revela que os filhos levam jeito no esporte. “Todos praticam algum esporte, mas eu fico no pé deles pra que consigam conciliar com os estudos”. Perguntado sobre seus 15 anos servindo ao Pinheiros, ele é categórico. “O Pinheiros me deu tudo que eu tenho. Foi graças ao clube que eu construí a minha família”, diz o zelador, que garante que, pelo menos no Poli, nunca vai faltar um bom cafezinho. “Meu trabalho é garantir o bom funcionamento do ginásio. Quero que as pessoas se sintam em casa aqui, como eu me sinto”.