Esporte Clube Pinheiros

Olimpíadas

Paralimpíadas
Para honrar o fato de ser o clube mais olímpico do Brasil, o Pinheiros mostrou a sua potência em enviar atletas para os Jogos Paralímpicos e levou para Londres, em 2012, três atletas – Andre Brasil, da Natação, Cláudia Santos e Jairo Natanael, do Remo. Além de dois integrantes da comissão técnica do Remo: José Paulo Sabadini e Felipe Vaz Domingues.

O destaque pinheirense ficou por conta de Andre Brasil. O atleta, que leva a pátria até no nome, honrou as cores verde e amarela e trouxe para casa cinco medalhas, três de ouro e duas de prata. A remadora Cláudia dos Santos também se sobressaiu na terra da rainha. Atual campeã mundial, a atleta ficou com a quarta posição na categoria Single Skiff (braços e ombros), a 32 centésimos da medalha de bronze.
Olimpíadas
O Pinheiros sempre foi um verdadeiro celeiro de atletas de alto rendimento. E dessa forma, recebeu o título de clube mais olímpico do Brasil.

Quem prova isso são os números. De todas as medalhas olímpicas conquistadas pela delegação brasileira na história das Olimpíadas, 10% são pertencentes a atletas do Clube – 10 medalhas ao todo. E isso só é possível, porque, desde 1932, o Pinheiros esteve ausente apenas dos Jogos de Melbourne.

Dos mais de 170 pinheirenses, entre atletas e comissão técnica, que já estiveram em solo olímpico, foram sete atletas que trouxeram a sonhada medalha olímpica para o Clube:

Manoel dos Santos foi bronze em Roma – 1960; João do Pulo também trouxe o bronze em Montreal - 1976; Douglas Vieira conquistou a prata em Los Angeles – 1984; Gustavo Borges é detentor de uma prata em Barcelona - 1992 e um bronze e uma prata em Atlanta – 1996; e, em Pequim – 2008, Leandro Guilheiro conquistou a medalha de bronze, enquanto César Cielo conquistou o bronze e o ouro olímpico.

Na terra da rainha, Londres - 2012, o pinheirense Rafael Silva conquistou a primeira medalha da categoria acima de 100 kg no Judô: um bronze para fechar a conta de 10 medalhas conquistadas pelo Pinheiros nas Olimpíadas até agora.

Para a Olimpíada do Rio de Janeiro, em 2016, o Pinheiros largou na frente. Sete pinheirenses da Seleção Brasileira de Judô, que têm entre 18 e 23 anos, estiveram em Londres para auxiliar nos treinamentos dos judocas olímpicos, com o intuito de ganhar experiência para os Jogos que irão acontecer no Brasil.
Olimpíada de Pequim - 2008
Para os Jogos Olímpicos de Pequim, em 2008, o Esporte Clube Pinheiros enviou 31 atletas no total. Os convocados foram:
Jadel Gregório, Gladson Barbosa e José Telles (atletismo);
Renzo Agresta (esgrima);
Daiane Garcia dos Santos e Lais da Silva Souza (ginástica artística);
Bruno Felipe Claudino de Santana, Fernando José Magalhães Pacheco Filho, Guilherme Rosa e Maik Ferreira dos Santos (handebol);
Denilson Moraes Lourenço e Leandro Guilheiro (judô);
Poliana Okimoto (maratona aquática);
Felipe França Silva, Felipe França Silva, Henrique Barbosa, Guilherme Guido, Cesar Cielo, Lucas Salatta, Phillip C. Morrison, Nicolas Santos, Gabriela Silva, Tatiana Sakemi, Flavia R. Delaroli Cazziolato, Michele Lenhart, Monique Ferreira e Tatiana Barbosa (natação);
André Brasil (natação paraolímpica);
Cassius Duran (saltos ornamentais);
Mariana Ohata e Reginaldo Colucci (triahtlon).
Na ocasião, nossos atletas conquistaram três medalhas olímpicas. Na natação, Cesar Cielo trouxe um ouro e um bronze. No judô, Leandro Guilheiro conquistou a medalha de bronze.

Olimpíada de Atenas
Natação: Bruno Bonfim; Carlos Jayme; Fernando Scherer; Flávia Delaroli; Gustavo Borges; Lucas Salatta; Paula Baracho; Paulo Machado; Tatiana Lemos; Alberto Pinto da Silva (técnico).
Esgrima: Maria Júlia Herklitz(Herklotz); Miakotnykh Guennadi (técnico).
Handebol: Bruno Felipe Claudino de Santana; Gustavo Henrique Lopes da Silva.
Judô: Daniel Hernandes; Vânia Ishii; Leandro Leme da Cunha; Wagner Castropil (médico).
Saltos Ornamentais: Cassius Duran; Roberto Gonçalves (técnico).
Olimpíada de Sydney - 2000
Judô: Andrea Berti Rodrigues; Denilson Moraes Lourenço; Priscila Marques; Reinaldo Vicente dos Santos.
Olimpíada de Atlanta
Natação: Gustavo Borges – Prata e Bronze; Cassiano Leal; Gabriele Rose; Alberto Klar (técnico).
Judô: Renato Dagnino; Sérgio Ricardo de Souza Oliveira; João Gonçalves Filho (técnico); João Paulo Rossi (médico).
Halterofilismo: Edmilson da Silva Dantas.
Olimpíada de Barcelona - 1992
Esgrima: Franciso Raymis Papaiano; Roberto Lazzarini; Márcia Leonelli (técnica).
Halterofilismo: Edmilson da Silva Dantas.
Handebol: Marcelo Minhoto Ferraz Sampaio; Edson Roberto Rizzo; Paulo Roberto Moratori; Arcílio Tavares (técnico).
Judô: Sérgio Ricardo de Souza Oliveira; João Gonçalves Filho (técnico).
Natação: Gustavo Borges – Prata; Cristiano Michelena; Emmanuel Nascimento; José Carlos Ferreira de Souza Junior; Renato Ramalho; Alberto Klar (técnico); João Paulo Rossi e Mário de Carvalho Pini (Médicos).
A tecnologia e a profissionalização tomaram conta dos Jogos Olímpicos em 1992. Porém, foi essa mesma tecnologia que pregou o maior susto nos brasileiros, quando o cronômetro eletrônico deixou de marcar o tempo do nadador Gustavo Borges, nos 100 m livre. Seu nome apareceu por último no painel. Os juízes viram a fita da prova e consideraram que Gustavo tinha chegado em 4°, mas o nadador pediu para que a fita fosse revista, já que tinha certeza de sua boa colocação. Finalmente, os juízes descobriram que estavam analisando o nadador da raia 6 e não o da 5, na qual Gustavo nadara, e deram a merecida medalha de prata ao brasileiro.
Olimpíada de Seul - 1988
Esgrima: Roberto Lazzarini.
Halterofilismo: Edmilson da Silva Dantas; Edvaldo Aparecido dos Santos.
Natação: Isabele Marques Vieira; João Paulo Rossi e Mário de Carvalho Pini (médicos).
Olimpíada de Los Angeles - 1984
Judô: Douglas Eduardo Brito Vieira – Prata
Oito anos depois de o judoca brasileiro Chiaki Ishii conquistar a primeira medalha olímpica da modalidade para o país, um bronze, nos Jogos de Munique/1972, um atleta de 24 anos voltaria a fazer história. Douglas Vieira, que começou a lutar Judô aos 4 anos, foi o primeiro brasileiro a chegar a uma final do esporte Olimpíada. Na decisão, Douglas perdeu a luta para o judoca da então Alemanha Ocidental, Alexander Von Der Groeben. Mesmo saindo derrotado da luta final, o judoca se sentiu vitorioso pela conquista, a maior da história do Pinheiros no Judô. Mesmo sem saber, ao disputar aquela final, Douglas ganhou um espaço no Judô que nunca mais deixou de ser ocupado por atletas brasileiros.
Pólo Aquático: Eric Tebbe Borges; Mário Sergio Becker Lotufo.
Natação: Luiz Francisco Teixeira de Carvalho; João Paulo Rossi e Mário de Carvalho Pini (médicos).
Olimpíada de Moscou - 1980
Atletismo: Paulo Roberto Correia.
Ginástica Olímpica: João Luiz Ribeiro; Kenshi Ohara; Nestor Soares Públio (árbitro).
Natação: Cláudio Mamede Kestener; Mário de Carvalho Pini (médico).
Olimpíada de Montreal - 1976
Atletismo: João Carlos de Oliveira – Bronze; Pedro Henrique Camargo de Toledo (técnico); Mário de Carvalho Pini (médico).
No Pan-americano do México, em 1975, João do Pulo ficou em 1º lugar no Salto em Distância (8,19 m) e com uma magnífica marca de 17,89 m entrou para a história do esporte, com o recorde mundial no salto triplo, que levou 10 anos para ser superado, e um sul-americano, que só foi quebrado este ano, por Jadel Gregório, que pulou um centímetro a mais. Pelo Pinheiros, João disputou a Olimpíada de Montreal e conseguiu sua primeira medalha olímpica, de bronze. A marca de 16,90 m não foi das suas melhores, talvez pelos compromissos militares – ele era cabo do Exército – que o tiravam de competições e de sua melhor forma física.
Quatro anos depois, em Moscou, João do Pulo era o favorito para a medalha de ouro. Afinal, no Pan-americano de Porto Rico, um ano antes, foi bicampeão no Salto triplo (17,27 m) e em distância (8,18 m). Porém, em uma prova polêmica, o triplista ficou em 3°, vencido por Jaak Udmae e Viktor Sansev, sob suspeita de que os fiscais de linha anularam seus melhores saltos para beneficiar os soviéticos.
Olimpíada de Munique - 1972
Halterofilismo: Bruno Barabani (técnico)
Natação: José Roberto Diniz Aranha.
Voleibol: Antônio Carlos Moreno; João Ernesto Jens; Mário de Carvalho Pini (médico).
Olimpíada da Cidade do México
Natação: José Roberto Diniz Aranha
Polo Aquático: Ivo Carotini; João Gonçalves Filho.
Voleibol: João Ernesto Jens; Mário de Carvalho Pini (médico).
Olimpíada de Tóquio - 1964
Pólo Aquático: Ivo Carotini; João Gonçalves Filho; Paulo Carotini; Mário de Carvalho Pini (médico).
Olimpíada de Roma - 1960
Natação: Manoel dos Santos Júnior – Bronze
Nada pode ser mais complicado para um nadador do que sofrer com um problema no sistema respiratório. Manoel dos Santos teve de enfrentar uma sinusite e uma infecção nas amídalas, 15 dias antes da Olimpíada de Roma, depois de enfrentar água a 18°, em Lisboa, ao participar dos I Jogos Luso-brasileiros. Com auxílio do médico do Clube, Mário de Carvalho Pini, não só conseguiu se recuperar, como subiu ao pódio. Em Roma, o atleta sofreu com a falta de transporte para vencer a distância entre o alojamento e o local de treinamento, entre outras falhas de estrutura. Mas superou tudo, passando pela etapa de classificação, semifinal e final, em que chegou em 3º lugar. Apenas o nadador e o time de Basquete conseguiram medalhas para o Brasil nessa edição dos Jogos.
Pólo Aquático: Henry Sansson; João Gonçalves Filho; Thomaz Alterthum.
Roma foi a primeira Olimpíada de João Gonçalves Filho, pinheirense que mais participou dos Jogos na história. Ele esteve presente em cinco edições: 1960, 1964, 1968, como atleta do Pólo Aquático, e 1992 e 1996, como técnico de Judô.
Olimpíada de Helsinque - 1952
Natação: Willy Otto Jordan.
Saltos Ornamentais: Arie Richard Hanitzsh.
Olimpíada de Londres - 1948
Atletismo: Elisabeth Clara Mueller; Lucila Pini.
Natação: Eleonora Schmith; Plauto Guimarães; Rolf Egon Kestener; Willy Otto Jordan.
Saltos Ornamentais: Gunnar Kennitz.
Olimpíada de Berlim - 1936
Atletismo: Icaro de castro Mello.
Olimpíada de Los Angeles - 1932
Atletismo: Lucio de Almeida Prado de Castro.
Olimpíada de Londres - 2012
Em 2012, o Pinheiros enviou 22 atletas em seis modalidades para os Jogos Olímpicos de Londres.
Os convocados foram: Adriana Aparecida da Silva, Andressa Oliveira, Sandro Viana, Fabiano Peçanha, Laila Ferrer, Kleberson Davide, Guilherme Cobbo, Geisa Rafaela Arcanjo, Franciela Krasucki e Vanda Gomes (Atletismo);
Leandro Guilheiro, Tiago Camilo, Leandro Cunha e Rafael Silva (Judô);
Bruno Fratus, Felipe França, Daniel Orzechowski e Marcelo Chierighini (Natação);
Fernando Reis (Levantamento de Peso);
Renzo Agresta (Esgrima);
Daiane dos Santos e Laís Souza (Ginástica Artística).
Nessa edição, o nosso judoca Rafael Silva (foto) conquistou a medalha de bronze, inédita em sua categoria!