ECP CIAA Fev2015

O Esporte Clube Pinheiros, tradicionalmente reconhecido por seu trabalho em diferentes modalidades e responsável por grande parte dos atletas que compõe as delegações brasileiras em Jogos Olímpicos e Pan-Americanos, vem se tornando, cada dia mais, referência também quando o assunto é ciência do esporte.

Sob a coordenação do Dr. Alexandre Moreira, o Centro Integrado de Apoio ao Atleta (CIAA) do clube vem desenvolvendo um trabalho pioneiro em todo o Brasil. O objetivo é unir o mundo acadêmico à prática, trazendo o trabalho científico, produzido na escola de Esporte da Universidade de São Paulo, ao dia a dia dos treinamentos realizados com os atletas do clube.

“Todos os treinamentos aplicados aqui são planejados, organizados e monitorados a partir do que temos em evidências científicas e em pesquisas realizadas pelo meio acadêmico. Da mesma forma, nossos treinos são desenvolvidos como projetos científicos, com análise sistemática, monitoramento e rigor na coleta para que possamos alimentar o mundo acadêmico. Trata-se de um ciclo, no qual utilizamos embasamento científico para aplicação dos treinos e entregamos o resultado dessa aplicação à universidade, para que se torne objeto de pesquisa e estudo para profissionais do esporte”, explica o Dr. Alexandre Moreira, diretor adjunto do CIAA e livre docente do departamento de esporte da Escola de Educação Física e Esporte da USP.

Hoje, o Centro Integrado de Apoio ao Atleta do Pinheiros conta com cerca de 40 profissionais, muitos deles já membros da comissão de pesquisa da EEFE-USP. A ideia é a troca constante de informações entre a universidade, onde se pratica a ciência, e o clube, onde se promove o treinamento e o esporte.

Na tarde desta quarta-feira, cerca de 20 alunos de iniciação científica de todo o Brasil, e que participam de um curso de Planejamento e Monitoramento do Treinamento Esportivo da USP, estiveram no Pinheiros para vivenciar e aprender, na prática, as técnicas de treinamento aplicadas pelo CIAA na preparação física de atletas do Basquete, Natação, Judô, Vôlei, Ginástica e outros esportes.

Um dos participantes do curso, o estudante de educação física Rafael Kons ficou impressionado com o que viu. “Estou muito feliz em participar do curso porque é essa vivência que nos permite entender como a ciência pode ser aplicada ao treinamento. O Pinheiros está de parabéns pela estrutura e pelo trabalho realizado”, disse o estudante, que também pratica judô e espera trabalhar como técnico ou preparador físico da modalidade que mais medalhas olímpicas trouxe para o Brasil até hoje.

Esse novo trabalho desenvolvido pelo Centro Integrado de Apoio ao Atleta do Clube Pinheiros já vem rendendo frutos. Entre os casos, estão o judoca Rafael Silva, que vem fazendo um trabalho específico para perda de peso e ganho de massa magra, o nadador Guilherme Guido, que fez os melhores tempos de sua carreira recentemente, as equipes de base da natação, que venceram os principais torneios infantis e juvenis da última temporada e as equipes adultas de Basquete, Handebol e Voleibol feminino – esta última, campeã da Copa do Brasil agora em janeiro.

“Os treinamentos são realizados a partir de pesquisas, mas também das respostas dadas pelos próprios atletas. Essas respostas só são possíveis quando desenvolvemos o trabalho com rigor científico, para monitoramento e coleta de resultados. É assim que temos trabalhado na preparação física dos atletas que certamente defenderão o Brasil nos jogos do Rio 2016 mas, mais importante que isso, estamos promovendo a capacitação de profissionais que possam desenvolver não só o treinamento, mas a ciência do esporte”, garantiu Alexandre Moreira, diretor adjunto do CIAA.