Pinheiros marca presença na São Silvestre

Fechando o ano em grande estilo, o Pinheiros marcou presença na corrida de rua mais tradicional do Brasil, a São Silvestre. No total nove pinheirenses, fizeram parte do pelotão de elite, representando as cores azul e preta pelas ruas de São Paulo, no último dia do ano. No Feminino: Adriana Aparecida da Silva, Andreia Aparecida Hessel, Graziele Zarri, Jenifer do Nascimento Silva, Maria Aparecida Ferraz e Valdilene dos Santos Silva. No masculino: Ederson Vilela Pereira, Gladson Alberto Silva Barbosa e Rafael Santos de Novais.

Com 27 anos de idade, atuando pelo Clube desde 2014, Jenifer Silva foi a brasileira mais bem colocada na prova, após concluir os 15 quilômetros em 54min4seg, ficando com a oitava posição. A velocista do Pinheiros, vem de outras conquistas recentes, inclusive tendo ajudo o Clube na conquista do tricampeonato do Troféu Brasil, que aconteceu em Bragança Paulista (SP) no mês de setembro. Ela terminou a competição com um ouro na prova dos 10 mil metros, uma prata nos 500 metros e um bronze nos 1.500 metros. Além disso, no dia 16 de dezembro a atleta esteve em sua cidade natal, Barueri, para disputar uma prova tradicional do local a “São Silveira”, da qual foi a campeã.
Esta foi a segunda participação de Jenifer na São Silvestre e ela comemorou o fato do seu desempenho ter sido melhor e aproveitou ainda para comentar sobre a prova e agradecer o ano produtivo que teve.

“Este ano consegui melhorar as minhas marcas em algumas provas e eu fico feliz por ter conseguido competir bem e ter sido a brasileira mais bem colocada na prova. Se eu tive uma evolução este ano comparado ao meu primeiro, então acredito que no próximo eu consiga melhorar ainda mais”.

Falando sobre o percurso da prova, a atleta comenta com bom humor sobre trecho da Brigadeiro, que é considerado uma das partes mais difíceis. “Quando chega naquele ponto, nós já corremos praticamente toda a prova e ainda temos uma subida de mais de 1km, então ali as pernas ficam meio inchadas e é difícil mesmo chegar lá em cima, mas treinamos todos os dias para isso e já estamos acostumados. Difícil sempre vai ser”.